INTERIORES

APARTAMENTO CIDADE BAIXA

- Dados gerais: localização, tempo de obras, data de conclusão, metragem.
O apartamento possui 37,5m² de área útil, e a obra levou dois meses para ser concluída.
Ele está localizado na rua Lima e Silva, coração do boêmio bairro Cidade Baixa em Porto Alegre.

- Qual o perfil dos moradores? O que eles desejavam para a morada?
O morador tem 29 anos, mora sozinho, seu primeiro apartamento. É advogado, concursado, e DJ. Um perfil de cliente bem despojado, e desapegado. Disse que gostaria que sua casa não tivesse cara de casa, e que parecesse de certa forma um bar.

- Em que contexto surgiu esse projeto? Como os clientes chegaram até o escritório?
O cliente já era um amigo, mas a conversa que ele havia comprado um apartamento que precisava ser reformado, e sobre a possibilidade do potencial projeto, surgiu em uma festa de formatura.

- No caso de construções, como era o terreno? Havia alguma edificação existente? Comente sobre fundação, fachadas, cobertura, circulação etc. De que material foi feita a estrutura?

- No caso de reforma, o que foi mudado em termos estruturais?
Em termos estruturais nada foi alterado, houve a mudança de duas paredes de fechamento. Uma delas dividia a sala do quarto, o que deixava o apartamento ainda menor e a sala quase sem iluminação. A outra formava um corredor a direita de quem entra no apartamento, onde está a geladeira e o balcão hoje, essa circulação dava acesso para a área do poço de luz, era uma área morta, e jogava a cozinha para a frente deixando a geladeira ao lado da porta do banheiro, sem possibilidade de ter uma bancada na cozinha.

- Quais eram os principais desafios? E as principais demandas?
O apartamento estava em péssimas condições, havia infiltrações nas duas laterais dele, em alguns locais elas passavam de 2m de altura. O banheiro precisava ser reformado de cima a baixo e possuía uma banheira, onde metade dela ficava para fora da projeção da parede, invadindo a área do poço de luz. Precisava ser retirada com prioridade pois ela ocupava muito espaço. O piso era muito feio, o cliente detestava com todas as forças, precisava ser solucionado, e além de tudo, o orçamento era muito reduzido.

- Como o escritório solucionou as necessidades? Quais os principais destaques?
O reboco estava podre então foi necessário descascar paredes, pilares e vigas, deixando-os no osso. Em uma das laterais foi sugerido que deixássemos os tijolos, vigas e pilares aparentes, pela estética e por ser uma solução para deixar a parede respirando, o cliente foi um pouco resistente, mas depois de ver a parede com os tijolos aparentes acabou amando.
Na outra lateral, optamos por deixa-la mais limpa, as paredes foram impermeabilizadas de cima a baixo. Rebocadas novamente e pintadas. O piso escolhido foi o cimento queimado, por estética, por preço e por ser uma das exigências do cliente que o piso fosse lavável facilmente, que não precisasse de muita manutenção e mesmo se riscasse não ficasse feio.

- Quais são as cores e os materiais predominantes?
O branco na área mais íntima, grafite na cozinha, azul na sala, B&W no banheiro. E, percorrendo todo o apartamento, a parede em tijolo aparente, piso, vigas e pilates, em cimento. A porta foi pintada na cor verde petróleo, uma forma simples e barata de repagina-la.

- Como se distribui o projeto?
O projeto é um espaço único integrado mas ao mesmo tempo separado por suas características. A cozinha possui tons mais escuros e também é delimitada pelas vigas superiores e pela claraboia. A sala tem mais vida, mais cor e o quarto é clean. Então mesmo você estando no mesmo espaço de 37m², você sente a diferença de cada ambiente.

- Qual o estilo e conceito?
O conceito tem muito a ver com quem vai abitar o espaço, e o local onde ele está inserido. Victor é um jovem DJ, e tinha como briefing que sua casa tivesse “cara” de bar, o projeto está situado em um dos locais mais cools de Porto Alegre. Assim, direcionamos ele para um estilo industrial e despojado caminhando pela linha do minimalismo.

- Em cada um dos ambientes, o que deve ser destacado? Cite todos!
A cozinha teve um aumento de área de 1m² quando a circulação que ficava por fora do apartamento foi integrada a área interna, isso possibilitou colocar a geladeira e o móvel nesse local, liberando a parede ao lado da porta do banheiro, onde foi colocada uma bancada com estrutura metálica. Foi inserida uma janela para ventilação e uma porta de acesso a área do poço de luz do prédio, ambas com fechamento em vidro para aumentar ainda mais a entrada de luz natural. Sem contar a claraboia que aumenta ainda mais essa iluminação. Os móveis foram projetados a partir da necessidade do cliente com a predominância do cinza.
A sala é o local mais divertido, o pendente é vermelho a cor da parede, escolhida pelo cliente é azul, e tem vários quadrinhos coloridos. Além do baú branco que fica atrás do sofá que pode ser usado para apoiar quadros, livros... ele segue até o quarto integrando um ambiente no outro. Já no quarto ele serve também como cabeceira para a cama que fica no chão sobre pallets. O guarda roupa é branco, puro, com uma linha que corta ele horizontalmente, essa linha segue transformando-se na bancada de estudo.
O banheiro segue a mesma linguagem do quarto, minimalista, onde o B&W ganha força.
Em todos os ambientes houve um cuidado com os alinhamentos, hierarquias e direcionamento dos olhos. Mesmo sendo um projeto de baixo custo, foi levado em consideração cada linha para harmonizar ao máximo cada espaço. Por exemplo, na cozinha a janela com o L da bancada, a porta com o final da bancada, a faixa horizontal da janela com a travessa horizontal da porta. Já no quarto, a parede aos fundos alinhada com a cama, o final da parede com a linha da travessa da porta. O alinhamento dos pallets com a emenda da cabeceira... Linhas sutis que fazem toda diferença em um projeto pensado.

- Que soluções proporcionam conforto térmico? Existe ventilação cruzada? Iluminação natural?
Como o apartamento é térreo foi inserida uma janela quase na totalidade da parte dos fundos do apartamento. Na cozinha o telhado de vidro que cobria a circulação do pátio do poço de luz virou a claraboia da cozinha, pois ganhamos essa área na troca da circulação de lugar, para a entrada de luz natural garantindo que ele ficasse naturalmente iluminado. Foi inserida uma janela na cozinha para cruzar a ventilação com a janela do pátio posterior.

- É um projeto sustentável? Há soluções sustentáveis?
É difícil usar a palavra sustentável pois isso implica em toda a cadeira de processos dos materiais utilizados, mas houve sim uma preocupação no uso, no reuso e no descarte desses materiais.

- Na decoração, foram aproveitadas peças de família, objetos trazidos de viagem, peças que já faziam parte do acervo dos moradores? Quais gostaria de destacar?
Como nosso orçamento era bem pequeninho, e foi gasto quase todo com a obra, precisávamos fazer muito com pouco. A mesa de centro foi feita com uma janela. A cama é um colchão sobre quatro pallets pintados, a máquina de escrever estava jogada na calçada e virou peça de decoração, as malas antigas iam ser descartadas. Dessa maneira o apartamento foi sendo preenchido.

- Há obras de arte e móveis e objetos de design que gostaria de destacar em cada ambiente? Quais são?
Destaque para a Poltrona Linulus, peça de tiragem limitada em alumínio polido, fabricada em alumínio puro, que foi lançada na BoomSPDesign 2017. E para a luminária Cascalho, luminária que leva o conceito de upcycling feita com restos de vergalhão de obra, descarte de mdf e resto de lascas de basalto. Ambos projetos de Eloisa Piardi Ricchetti.

- Comente sobre o design da marcenaria e revestimentos que podem personalizar os espaços?
Foi utilizado o mínimo de marcenaria possível para conseguir fazer todos os espaços. Na cozinha uma bancada em L para o forno e a pia e um móvel solto ao lado da geladeira para o forno e o micro-ondas. Um guarda roupa branco com uma mesa de estudo para o quarto, e um baú posterior a cama que serve como cabeceira e liga o quarto a sala, isso também serviu para minimizar a reentrância que existia na parede do quarto. A pedra escolhida dos tampos foi o basalto, que é um pouco mais poroso que o granito mas é uma pedra de cor linda e é extraída na serra gaúcha, o que diminuiu muito o custo na hora da escolha do material. O banheiro ganhou uma bancada branca bem limpa, revestimento cerâmico preto no box e branco na área seca. O que deu um ar minimalista pra ele.

- Como é o projeto de iluminação?
A iluminação foi distribuída conforme a necessidade dele. Na cozinha luminárias tartaruga fixadas nas vigas, no hall centralizada, um trilho de luz encaminhando a circulação, um pendente sobre a cama e outro sobre o sofá no local onde ele costuma ler. Uma luminária de cada lado da cama. Assim ele consegue ter uma luz mais intimista e bem distribuída.

    - Qual é o elemento/ característica que mais gosta desse projeto? O que o torna especial?
O projeto possui características próprias, pois a verdade foi deixada aparente, cada viga manchada que o reboco não desgrudava, cada parede torta e tijolos de duas cores demonstram a verdade construtiva dele, demonstram que ele possui alma e uma personalidade livre. Isso é o mais bacana, o que o torna bem particular.

 

 

- Qual o conceito para concepção dos espaços.
Os espaços do apartamento foram organizados conforme o “mapeamento” da forma como ele transitava em casa, foi feito um estudo com as circulações, o que ele mais usava e como usava. Dessa forma o espaço foi separado em um primeiro bloco com as áreas de serviço, cozinha, banheiro e lavandeira que fica na parte externa do poço de luz. E um segundo bloco a área íntima, sala e quarto.

- Quem é o morador (solteiro, casado, tem filhos)?
O morador é o Victor, um jovem solteiro de 29 anos que mora sozinho. Esse é o primeiro apartamento dele. Antes ele morava com os pais.
Ele é advogado, concursado, e ainda trabalha como DJ nas noites de Porto Alegre.
É um rapaz tranquilo de bom gosto que ama música e dança e adora receber amigos em casa.

- Falar um pouco sobre as escolhas de móveis e como foi pensado cada cômodo. Se tiver mais algum detalhe ou curiosidade sobre a decoração também seria legal.
Geralmente quando você tem espaços separados fisicamente, pelo menos o quarto, você consegue trabalhar de forma mais segmentada na escolha de cada “mood”. Nesse caso o espaço é todo integrado, o piso é único e a parede de tijolos aparentes inicia no hall e vai até o quarto destacando ainda mais a integração. Então os espaços foram pensados de forma separada mas que conversassem uns com os outros.
A cozinha é funcional, compacta e bem iluminada naturalmente, com predomínio dos tons cinzas. A bancada com estrutura metálica, a porta verde, as vigas aparentes, trazem a atmosfera de bar para o ambiente.
A sala é o local para ler, estar com amigos, onde a decoração é mais vibrante, o azul ganha o ambiente, o pendente é vermelho, almofadas e quadrinhos coloridos deixam o espaço mais lúdico. Também é o local onde a circulação é maior, para receber as pessoas com espaço para dançar.
A circulação que se estende por todo o apartamento, toda de tijolos aparentes acompanhados por uma viga, ganha decoração de malas antigas, cabeceira de cama que vira suporte para luminária e de máquina de escrever deixa o ar mais vintage e acolhedor.
O quarto é intimista, puro, B&W, muito mais que apenas o espaço de dormir. A cama é baixa para ficar mais harmônico com a sala, assim os espaços tem a mesma hierarquia e são integrados pelo baú branco que percorre a parede, e através da poltrona que é vazada e faz a transição entre eles. O guarda roupa se transforma em bancada de estudo.
O banheiro segue a mesma linguagem do quarto, minimalista. Os revestimentos preto e branco cortam ele dividindo a área do chuveiro.
A decoração do apartamento é bem simples, com suculentas, cactos e quadros, onde a base é toda monocromáticas e as cores ganham locais pontuais, o que não deixa o ambiente pesado nem mesmo frio.

 

 

Quais foram os pedidos e inspirações para o partido desta obra/projeto?

O conceito tem muito a ver com quem vai abitar o espaço, e o local onde ele está inserido. Victor é um jovem DJ, e tinha como briefing que sua casa tivesse “cara” de bar, o projeto está situado em um dos locais mais cools de Porto Alegre. Assim, direcionamos ele para um estilo industrial e despojado caminhando pela linha do minimalismo.

 

Descreva as soluções de design de interiores (ou paisagismo) realizadas:

O projeto é um espaço único integrado mas ao mesmo tempo separado por suas características.
Geralmente quando você tem espaços separados fisicamente, pelo menos o quarto, você consegue trabalhar de forma mais segmentada na escolha de cada “mood”. Nesse caso o espaço é todo integrado, o piso é único e a parede de tijolos aparentes inicia no hall e vai até o quarto destacando ainda mais a integração. Então os espaços foram pensados de forma separada mas que conversassem uns com os outros.
A cozinha é delimitada pelas vigas superiores e pela claraboia. É funcional, compacta e bem iluminada naturalmente, com predomínio dos tons cinzas. A bancada com estrutura metálica, a porta verde, as vigas aparentes, trazem a atmosfera de bar para o ambiente.
A sala é o local para ler, estar com amigos, onde a decoração é mais vibrante, o azul ganha o ambiente, o pendente é vermelho, almofadas e quadrinhos coloridos deixam o espaço mais lúdico. Também é o local onde a circulação é maior, para receber as pessoas com espaço para dançar.
A circulação que se estende por todo o apartamento, toda de tijolos aparentes acompanhados por uma viga, ganha decoração de malas antigas, cabeceira de cama que vira suporte para luminária e de máquina de escrever deixa o ar mais vintage e acolhedor.
O quarto é intimista, puro, B&W, muito mais que apenas o espaço de dormir. A cama é baixa para ficar mais harmônico com a sala, assim os espaços tem a mesma hierarquia e são integrados pelo baú branco que percorre a parede, e através da poltrona que é vazada e faz a transição entre eles. O guarda roupa se transforma em bancada de estudo.
O banheiro segue a mesma linguagem do quarto, minimalista. Os revestimentos preto e branco cortam ele dividindo a área do chuveiro.
A decoração do apartamento é bem simples, com suculentas, cactos e quadros, onde a base é toda monocromáticas e as cores ganham locais pontuais, o que não deixa o ambiente pesado nem mesmo frio. Então mesmo você estando no mesmo espaço de 37m², você sente a diferença de cada ambiente.

 

Descreva os diferenciais do projeto no que diz respeito aos critérios de avaliação: inovação; estética; conforto; escolha de materiais e revestimentos; iluminação

Os espaços do apartamento foram organizados conforme o “mapeamento” da forma como o cliente transitava em casa, foi feito um estudo com as circulações, o que ele mais usava e como usava. Dessa forma o espaço foi separado em um primeiro bloco com as áreas de serviço, cozinha, banheiro e lavandeira que fica na parte externa do poço de luz. E um segundo bloco a área íntima, sala e quarto.
Houve a mudança de duas paredes de fechamento. Uma delas dividia a sala do quarto, o que deixava o apartamento ainda menor e a sala quase sem iluminação. A outra formava um corredor a direita de quem entra no apartamento, onde está a geladeira e o balcão hoje, essa circulação dava acesso para a área do poço de luz, era uma área morta, e jogava a cozinha para a frente deixando a geladeira ao lado da porta do banheiro, sem possibilidade de ter uma bancada na cozinha.
Modificando essa circulação a cozinha teve um aumento de área de 1m² quando a circulação que ficava por fora do apartamento foi integrada a área interna, isso possibilitou colocar a geladeira e o móvel nesse local, liberando a parede ao lado da porta do banheiro, onde foi colocada uma bancada com estrutura metálica. Foi inserida uma janela para ventilação e uma porta de acesso a área do poço de luz do prédio, ambas com fechamento em vidro para aumentar ainda mais a entrada de luz natural. Sem contar a claraboia que aumenta ainda mais essa iluminação. Os móveis foram projetados a partir da necessidade do cliente com a predominância do cinza.
A sala é o local mais divertido, o pendente é vermelho a cor da parede, escolhida pelo cliente é azul, e tem vários quadrinhos coloridos. Além do baú branco que fica atrás do sofá que pode ser usado para apoiar quadros, livros... ele segue até o quarto integrando um ambiente no outro. Já no quarto ele serve também como cabeceira para a cama que fica no chão sobre pallets. O guarda roupa é branco, puro, com uma linha que corta ele horizontalmente, essa linha segue transformando-se na bancada de estudo.
O banheiro segue a mesma linguagem do quarto, minimalista, onde o B&W ganha força.
Em todos os ambientes houve um cuidado com os alinhamentos, hierarquias e direcionamento dos olhos. Mesmo sendo um projeto de baixo custo, foi levado em consideração cada linha para harmonizar ao máximo cada espaço. Por exemplo, na cozinha a janela com o L da bancada, a porta com o final da bancada, a faixa horizontal da janela com a travessa horizontal da porta. Já no quarto, a parede aos fundos alinhada com a cama, o final da parede com a linha da travessa da porta. O alinhamento dos pallets com a emenda da cabeceira... Linhas sutis que fazem toda diferença em um projeto pensado.
Como o apartamento é térreo foi inserida uma janela quase na totalidade da parte dos fundos do apartamento. Na cozinha o telhado de vidro que cobria a circulação do pátio do poço de luz virou a claraboia da cozinha, pois ganhamos essa área na troca da circulação de lugar, para a entrada de luz natural garantindo que ele ficasse naturalmente iluminado. Foi inserida uma janela na cozinha para cruzar a ventilação com a janela do pátio posterior.
O projeto possui características próprias, pois a verdade foi deixada aparente, cada viga manchada que o reboco não desgrudava, cada parede torta e tijolos de duas cores demonstram a verdade construtiva dele, demonstram que ele possui alma e uma personalidade livre. Isso é o mais bacana, o que o torna bem particular.

https://casavogue.globo.com/Interiores/apartamentos/noticia/2018/06/um-apartamento-pequeno-com-estilo-industrial-em-porto-alegre.html
http://www.revistadecor.com.br/index.php?ppant=&pp=galeria&cc=7823&pg
https://minhacasa.abril.com.br/apartamentos/ape-de-37-m2-com-estilo-industrial-e-reforma-de-baixo-custo
https://universa.uol.com.br/album/2018/08/21/dj-pede-que-apartamento-de-37-m-tenha-cara-de-bar-veja-o-resultado.htm?foto=1
http://www.boomspdesign.com.br/design/eloisa-piardi/

 

Veja também